Férias pelo Mundo

Turismo, diversão, comportamento! Também um pouco de cinema e história

Mês: fevereiro 2016

Beisebol no Fenway Park

IMG_0097

Existem 3 coisas que definem os Estados Unidos:  compras, comida e esportes.  Hoje o assunto é um dos esportes mais queridos dos americanos: Beisebol.  Já vou falar onde a comida e as compras entram nessa história.

É uma sensação muito bacana pegar o metro e parar na estação Fenway Park para ir a um jogo.    Melhor comprar o ingresso antecipadamente, se possível assim que planejar sua ida a Boston. Costuma lotar, principalmente se o jogo for importante como Red Sox X New York Yankees como esse que eu fui assistir.

IMG_0087

 

O Fenway Park é a casa dos Red Sox e um dos mais tradicionais dos Estados Unidos.  E é grandioso.

Como falei lá em cima, esporte, comida…eles comem o tempo todo durante o jogo.  Mas quem resiste ao Hod-dog de estádio?  Gigante e maravilhoso.  E pipoca, repleta de manteiga, algodão-doce…fiz um estrago, mas não teve como resistir.

IMG_0086

E aquela história da câmera filmar pessoas na platéia acontece mesmo.  Então pessoal, assistir a um jogo de beisebol no Fenway Park é uma experiência divertidíssima, parece que a gente está num filme.

IMG_0084

Como eu falei, comprinhas sempre há:  os quiosques vendem tudo do Red Sox e boas lembrancinhas para trazer.  Comprem pelo menos um boné que são lindos e bem necessários se for numa tarde de verão.   Chame um dos inúmeros e simpáticos vendedores de hot-dog e bom jogo!

Para comprar ingresso clique aqui

 

Como escolho meu destino

Acho muito chic essa história de “money is not an issue”mas comigo não funciona. Por isso, eu tenho algumas maneiras de começar meu planejamento de viagem e todas elas passam necessariamente pelo quesito “preço”.

Se for viagem com filhos tenho restrição de datas: tem que ser julho ou entre dezembro a começo de fevereiro.  São as datas mais caras e mais cheias.  Mas não tem jeito de mudar isso, então uma boa maneira é pensar muito tempo antes as possibilidades e fazer uma pesquisa de qual lugar está mais acessível.  Essa é a única maneira de conseguir baixar o custo.  Nunca deixe para planejar em junho a viagem de julho.  Vai pagar pelo menos 3 vezes mais.

Uma coisa que eu acho bem importante é vocês notarem que alguns países fazem campanhas de promoção de destino.  Por exemplo: tivemos a época da Turquia, Dubai, Peru, Africa do Sul.  Quando isso acontece, os hotéis ficam mais baratos porque ganham incentivo do governo local.

Muitas vezes uma companhia aérea abre uma nova rota e por isso lança preços promocionais no mercado.  A Copa Airlines fez isso em 2013, abrindo a rota Panamá City – Boston.  O preço caiu pela metade com relação a outras companias.

Eu particularmente não escolho o destino por frio ou calor.  Amo viajar e me sinto tão à vontade numa praia do Caribe quanto numa estação de ski.  Mas para quem prefere uma temperatura ou outra, a escolha da data é importante, óbvio.

Se for sem filhos, escolho sempre primavera ou outono.  O clima está bem mais ameno, os hotéis não estão completos e os restaurantes não estão abarrotados.  O valor é bem mais baixo tanto de passagem quanto de hotel.  Ou seja, abril, maio, setembro e outubro são meus meses favoritos para viajar.

A antecedência é importante mas muitas vezes eu viajei sem planejar, no susto mesmo:  encontrei uma promoção relâmpago imperdível e aproveitei mas falo disso em outro post porque esse aqui é sobre planejamento.

Lembrando que “money”é muito importante, eu faço um orçamento antes de quanto vou gastar em passagem, hotel e compras.  Sim, orçamento de compras.  Nada mais chato do que surfar com o tamanho da conta do cartão de crédito depois.  Então eu já deixo reservado o valor só para isso.  Já desisti de viajar para um lugar que estava com promoção de passagem porque era um lugar que eu sei que ia gastar muito.

Enfim, escrevendo isso lembrei que já estamos em fevereiro e é hora de eu começar a me mexer para julho.  Beijos e até a próxima!

Por que escrever sobre viagem

Quando eu tinha 15 anos fiz minha primeira viagem internacional sozinha.  Fui com minha irmã estudar balé em Cannes na École Supérieure de danse de Cannes Rosella Hightower.

Infelizmente eu não tinha talento suficiente para seguir a carreira de bailarina mas essa viagem não foi em vão:eu não somente descobri o mundo, como descobri que adoro descobri-lo.  Aquela viagem durou 3 meses mas eu nunca voltei a ser o que eu era antes.  Aquela sensação de me deparar com coisas totalmente diferentes do que eu sou, faço ou conheço virou meu vício confesso.

Não sei viver sem viajar.  Não precisa ser para um lugar distante:  até a praia que fica a 100 KM de distância já me satisfaz.  Gosto de chegar de uma viagem com outra já na cabeça.  Isso me levou a trabalhar com turismo e intercâmbio.  Adoro meu trabalho e acho realmente que chegou a hora de eu compartilhar um pouco mais do que eu vivi e aprendi.

Dedico meu Blog a todo mundo que tem me acompanhado e curtido comigo as minhas viagens.  Beijos a todos.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén