Desde que escrevi meu posto sobre “A melhor Baguette de Paris“, sinto que fiquei devendo ao Croissant e achei melhor fazer justiça.

Eu gosto tanto de Croissant que uma vez fui a uma aula exclusivamente para aprender como faz e posso dizer que é uma obra de arte e não um pão. São camadas e camadas de massa folhada separadas por manteiga. Uma vez a massa pronta pode finalmente ser cortada em triângulo, enrolada e uma leve entortadinha dá o formato do C, imitando a lua crescente.

Ao contrário do que se possa pensar, o Croissant não nasceu na França e sim na Áustria. Diz a lenda que sua invenção foi para comemorar a vitória em 1683 dos autríacos sobre os otomanos, o que explica a forma crescente, em referência à lua crescente na bandeira do Islã.

Quando a Princesa Maria-Antonieta da Áustria casou com Louis XVI da França, levou consigo a receita do Kipferl, cuja a tradução em francês é Croissant.

A princesa Maria-Antonieta da Austria

A princesa Maria-Antonieta da Austria

Os franceses mais tarde aprimoraram a receita e colocaram recheio de chocolate (Pain au chocolat), lascas de amêndoas (Croissant aux amandes) e outros recheios. Mas nada se compara ao simples Croissant au beurre com geléia.

Hoje não se pode imaginar um café da manhã na França sem essa delícia, e para evitar que o leitor fique de boulangerie em boulangerie, aqui vão os endereços de 4 dos melhores croissants de Paris.

Galerie

  • 8 rue Monge, 75005 Paris
  • 134 rue de Turenne, 75003 Paris
  • 16 Rue Mouffetard, 75005 Paris
  • 69 rue Monge, 75005 Paris
  • 22 rue Caulaincourt, 75018 Paris

Du Pain et des Idées

  • 34 rue Yves Toudic, 75010 Paris

Blé Sucré

  • 7 Rue Antoine Vollon, 75012 Paris

La Pâtisserie Cyrillignac

  • 133 Rue des Sèvres, 75006 Paris
  • 24 Rue Paul Bert, 75011 Paris
  • 55 Boulevard Pasteur, 75015 Paris
  • 2 Rue de Chaillot, 75016

Croissant au beurre

Endereços dados, lá vai meu conselho:

Experimente todos para saber qual o melhor.