Férias pelo Mundo

Turismo, diversão, comportamento! Também um pouco de cinema e história

Tag: Toscana

Para Lucca

Pode ser que um dia você acorde de madrugada com uma sensação que algum lugar esteja chamando você, sem que saiba que lugar é esse. Da mesma forma que acontece quando a gente quer comer alguma coisa mas não sabe definir o que é. Então você liga seu Spotify, ITunes, ou o que quer que você use para encontrar a música que preenche a alma, e lá está ele…cantando baixo no seu ouvido “Nessun dorma”e imediatamente você se dá conta de que precisa ir ao encontro de Giacomo Puccini.

Apesar do compositor de La Bohème, Tosca, Madame Buterfly, Turandot ter falecido em 1924, sua alma permanece em Lucca,   seja na casa onde nasceu, ou nos locais onde acontecem as apresentações do Festival Permanente , que propicia apresentações com composições de Puccini o ano todo.

Casa onde nasceu Giacomo Puccini

E é ao som desse que é um dos maiores compositores de todos os tempos que você percorre as principais atrações de Lucca, como as muralhas do século XIII que cercam a cidade e permanecem intactas.

A Igreja de San Michele in Foro, construída entre os séculos XII e XIV, foi construída onde ficava o Foro Romano.  Com a fachada toda entalhada em mármore, é constantemente confundida com a Catedral Duomo di San Martino.  Essa, construída no século X! em estilo Romano, tem o campanário separado da construção principal,  como é próprio do estilo estilo da região.

San Michele in Foro

 

Catedral Duomo di San Martino

Única torre remanescente da idade medieval, a Torre Guinigui fazia parte das propriedades de uma poderosa família.  O peculiar são os carvalhos plantados no topo.  Vale a pena subir os 230 degraus para chegar ao topo e apreciar a vista.

Lucca possui quase cem igrejas,  diversos palácios e como toda cidade toscana, o melhor de tudo é esquecer os guias e se perder pelas ruas.  Mas eu não posso deixar de citar o Anfiteatro Romano, que na verdade se transformou em praça. Preservando as arcadas, as edificações foram construídas ao seu redor.  Quando eu observo a maneira como Lucca se organizou em torno da cultura, percebo que essa é a perfeita tradução da alma italiana.  E eu estava falando de Puccini…sim, é a Itália me chamando mais uma vez e eu honestamente, não faço a menor questão de resistir a esse chamado!

Anfiteatro Romano em Lucca

Anfiteatro romano

Para escutar enquanto estiver fazendo as malas :https://youtu.be/VATmgtmR5o4

 

 

 

 

Under the Tuscan Sun

Sob o Sol de Cortona

Um dos filmes que eu mais gosto é Sob o Sol da Toscana, ou Under the Tuscan Sun, de Audrey Wells. Quanta gente que passou por um divórcio já pensou em se refugiar na Villa Bramasole? E quem nunca se divorciou também. Que sonho poder dar uma guinada na vida, e num lugar maravilhoso. Pois o lugar maravilhoso tem nome: Cortona.  Essa é a cidade na região de Arezzo na Itália onde foram feitas as filmagens.

Cortona, na região de Arezzo na Itália

Para entender todas as nuances da arquitetura da cidade, é preciso saber um pouco da sua história.  Cortona é uma cidade de origem etrusca, situada nas colinas da Toscana e a 100Km de Florença. Mais tarde passou para o domínio romano e depois pelos godos. Durante o século 14, a família Casalli teve grande domínio na cidade tanto nas leis como no comércio. Em 1409 a cidade foi conquistada por Ladislao, Rei de Nápoles. Isso mudou o rumo da cidade porque ele a cedeu para Florença. Por causa disso, toda a cultura Renascentista que a Casa dos Médici promoveram teve enorme influência também em Cortona. Os arquitetos Jannelle e Laparelli, o astrônomo Moretti, e os pintores Luca Signorelli e Pietro di Cortona nasceram aqui.

Nuances na arquitetura de Cortona

A melhor maneira de conhecer Cortona é fazer como a Frances do filme: sair caminhando e se deixar levar pelo encanto que esse lugar desperta. Mas vou pontuar alguns lugares de interesse:

Piazza della Republica

Comece por aqui e volte para cá sempre que quiser um café ou um gellatto.

Piazza della Republica

Piazza della Republica

Piazza della Republica

Basílica de Santa Marguerita

Construída no mesmo lugar onde a própria Santa Marguerita di Cordona, a padroeira da cidade, havia construído um oratório dedicado a São Basílio. Os restos mortais da Santa estão lá. É preciso fazer um pequeno exercício para se chegar mas vale a pena!

Eremo Franciscano Le Celle

Antigo convento que abrigou São Francisco de Assis. Pode-se visitar sua cela. Fica a uns 3 Km de Cortona e só posso dizer que é um lugar de Paz e Bem.

Museu del’Accademia Etrusca

Fica no Palazzo Casalli, tem um acervo bem interessante do período pré-romano. Também com objetos romanos e medievais.

Museu del’Accademia Etrusca

Museu del’Accademia Etrusca

Acervo do período pré-romano

Acervo do período pré-romano

Museu Diocesano

Este é imperdível! Se tiver que escolher apenas um lugar para ir, vá nesse. Fica na Praça do Duomo e guarda tesouros como a Anunciação di Cortona de Fra Angelico, Comunhão dos Apóstolos de Luca Signorelli e o Crucifixo de Cortona de Pietro Lorenzetti *.

Anunciação di Cortona de Fra Angelico

Anunciação di Cortona de Fra Angelico

Comunhão dos Apóstolos de Luca Signorelli

Comunhão dos Apóstolos de Luca Signorelli

Crucifixo de Cortona de Pietro Lorenzetti

Crucifixo de Cortona de Pietro Lorenzetti

Duomo

A Catedral dedicada à Virgem Maria foi construída onde ficava um templo romano.  É linda e vale a pena.

O Duomo

O Duomo

Bramasole

Deixei esse por último para voltarmos ao assunto do post. Lembram da casa que ela comprou, reformou e lá ficou? Lá está a casa… bem arrumada e sem nenhum vestígio de escorpião.

A casa que Frances comprou na Villa Bramasole

A casa que Frances comprou na Villa Bramasole

Bramasole

Bramasole

Eu acho bem desnecessário num lugar como esse recomendar onde comer porque honestamente, tudo é bom. Entre em qualquer lugar que estiver passando na hora em que a fome falar mais alto e ficará feliz. Mas vou dar 2 lugares que foram “estupendos”:

Para se hospedar eu indico:

Para matar as saudades de Sob o Sol da Toscana clic no trailer abaixo e divirta-se.

*Coloquei propositadamente em negrito essa parte porque para mim, foi o melhor.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén