Férias pelo Mundo

Turismo, diversão, comportamento! Também um pouco de cinema e história

Tag: viagem (Página 1 de 7)

❤️ in NY…

Nova York é um cidade para qualquer ocasião, não tem como negar. Mas impossível não reconhecer que é uma das cidades mais românticas do mundo.  Por isso, fazer uma lista de restaurantes românticos foi bem difícil.  Achei melhor não escrever “os mais”para não correr o risco de ser injusta.  Então uma lista de lugares para levar seu amor.

Il Buco 

47 Bond St., New York, NY 10012 | (212) 533-1932

Esse lugar era primeiramente um antiquário e em 1992 a proprietária Donna Lennard  o transformou em restaurante.  O ambiente guarda as características do antigo negócio dando a sensação de que a qualquer momento podemos descobrir um pequeno tesouro escondido.  E eu não diria pequeno, mas de verdade um tesouro é a enoteca, com mais de 400 rótulos.  A comida é ítalo-hispânica e eu recomendo as sobremesas: Panna Cotta all’Aceto Balsamico  e Torta all’ olio d’oliva.

 

 

One if by Land, Two if by Sea

17 Barrow St, New York, NY 10014, USA
+1 212-255-8649

O poeta Henry Wadsworth Longfellow (1807 – 1882) descreveu assim a histórica cavalgada de Paul Revere:

Listen my children and you shall hear/Of the midnight ride of Paul Revere, /On the eighteenth of April, in Seventy-five;/Hardly a man is now alive /Who remembers that famous day and year. //He said to his friend,/”If the British march /By land or sea from the town to-night, /Hang a lantern aloft in the belfry arch /Of the North Church tower as a signal light – /One if by land, and two if by sea;/And I on the opposite shore will be, /Ready to ride and spread the alarm /Through every Middlesex village and farm, /For the country folk to be up and to arm.”

Essa estrofe do poema foi a inspiração para o nome desse, que é considerado o mais romântico dos restaurantes de Manhattan.  Construído num prédio histórico de 1776 onde funcionava uma cocheira, a decoração é lindíssima.

O cardápio é clássico americano e eu recomendo o Beef Wellington: um roasted beef envolvido em patê de foie gras e massa folhada.

O One if by Land é provavelmente o restaurante onde mais pessoas abriram uma caixinha e pronunciaram “Quer casar comigo?”.  Por isso, é um lugar para pensar bem antes de ir.

Pier A Harbour House 

22 Battery Place, +212.785.0153

Eu acho esse lugar tão lindo!

Coloquei na lista de restaurantes porque além de tudo, a comida é excelente, mas esse lugar é maravilhoso a qualquer hora do dia.  A cozinha serve frutos do mar, posso indicar os calamari que gosto de tomar com uma Guinness.  Mas todos os pratos são muito bons e o Oyster Bar é famoso para quem gosta da iguaria.  De qualquer maneira, a vista da Estátua da Liberdade e a arquitetura fazem desse, um dos lugares mais românticos de NY.

 The House

121 East 17th Street

Esse prédio de 3 andares data de 1854 e também funcionava como cocheira.   O lugar é muito aconchegante com as paredes de tijolos e lareiras.  Tem uma ótima adega e a cozinha americana oferece de lagosta a Scallop, de cordeiro (delicioso) ao típico Black Angus NY Strip Steak.

Eu recomendo o brunch de domingo no The House.  E para completar o programa, um passeio pelo Gramercy Park.

 Erminia 

250 E 83rd St, Manhattan,NY / (212) 879-4284

Um chalé suísso, que serve comida romana, no meio do Upper East Side: assim é o Erminia.   São poucas mesas o que torna o ambiente ainda mais romântico e o serviço é impecável.  Se você escolher esse restaurante para ir com aquela pessoa com quem pretende passar o resto da vida, certamente será o lugar que irão voltar todas as vêzes que forem a NY.

Bem, chegando ao final do post e eu não posso deixar de expressar meu desejo sincero de que quem estiver lendo este post tenha sempre um amor ao seu lado, pronto para desfrutar as boas coisas da vida.
Under the Tuscan Sun

Sob o Sol de Cortona

Um dos filmes que eu mais gosto é Sob o Sol da Toscana, ou Under the Tuscan Sun, de Audrey Wells. Quanta gente que passou por um divórcio já pensou em se refugiar na Villa Bramasole? E quem nunca se divorciou também. Que sonho poder dar uma guinada na vida, e num lugar maravilhoso. Pois o lugar maravilhoso tem nome: Cortona.  Essa é a cidade na região de Arezzo na Itália onde foram feitas as filmagens.

Cortona, na região de Arezzo na Itália

Para entender todas as nuances da arquitetura da cidade, é preciso saber um pouco da sua história.  Cortona é uma cidade de origem etrusca, situada nas colinas da Toscana e a 100Km de Florença. Mais tarde passou para o domínio romano e depois pelos godos. Durante o século 14, a família Casalli teve grande domínio na cidade tanto nas leis como no comércio. Em 1409 a cidade foi conquistada por Ladislao, Rei de Nápoles. Isso mudou o rumo da cidade porque ele a cedeu para Florença. Por causa disso, toda a cultura Renascentista que a Casa dos Médici promoveram teve enorme influência também em Cortona. Os arquitetos Jannelle e Laparelli, o astrônomo Moretti, e os pintores Luca Signorelli e Pietro di Cortona nasceram aqui.

Nuances na arquitetura de Cortona

A melhor maneira de conhecer Cortona é fazer como a Frances do filme: sair caminhando e se deixar levar pelo encanto que esse lugar desperta. Mas vou pontuar alguns lugares de interesse:

Piazza della Republica

Comece por aqui e volte para cá sempre que quiser um café ou um gellatto.

Piazza della Republica

Piazza della Republica

Piazza della Republica

Basílica de Santa Marguerita

Construída no mesmo lugar onde a própria Santa Marguerita di Cordona, a padroeira da cidade, havia construído um oratório dedicado a São Basílio. Os restos mortais da Santa estão lá. É preciso fazer um pequeno exercício para se chegar mas vale a pena!

Eremo Franciscano Le Celle

Antigo convento que abrigou São Francisco de Assis. Pode-se visitar sua cela. Fica a uns 3 Km de Cortona e só posso dizer que é um lugar de Paz e Bem.

Museu del’Accademia Etrusca

Fica no Palazzo Casalli, tem um acervo bem interessante do período pré-romano. Também com objetos romanos e medievais.

Museu del’Accademia Etrusca

Museu del’Accademia Etrusca

Acervo do período pré-romano

Acervo do período pré-romano

Museu Diocesano

Este é imperdível! Se tiver que escolher apenas um lugar para ir, vá nesse. Fica na Praça do Duomo e guarda tesouros como a Anunciação di Cortona de Fra Angelico, Comunhão dos Apóstolos de Luca Signorelli e o Crucifixo de Cortona de Pietro Lorenzetti *.

Anunciação di Cortona de Fra Angelico

Anunciação di Cortona de Fra Angelico

Comunhão dos Apóstolos de Luca Signorelli

Comunhão dos Apóstolos de Luca Signorelli

Crucifixo de Cortona de Pietro Lorenzetti

Crucifixo de Cortona de Pietro Lorenzetti

Duomo

A Catedral dedicada à Virgem Maria foi construída onde ficava um templo romano.  É linda e vale a pena.

O Duomo

O Duomo

Bramasole

Deixei esse por último para voltarmos ao assunto do post. Lembram da casa que ela comprou, reformou e lá ficou? Lá está a casa… bem arrumada e sem nenhum vestígio de escorpião.

A casa que Frances comprou na Villa Bramasole

A casa que Frances comprou na Villa Bramasole

Bramasole

Bramasole

Eu acho bem desnecessário num lugar como esse recomendar onde comer porque honestamente, tudo é bom. Entre em qualquer lugar que estiver passando na hora em que a fome falar mais alto e ficará feliz. Mas vou dar 2 lugares que foram “estupendos”:

Para se hospedar eu indico:

Para matar as saudades de Sob o Sol da Toscana clic no trailer abaixo e divirta-se.

*Coloquei propositadamente em negrito essa parte porque para mim, foi o melhor.

The Ambrose

dusk_front_entrance
Quando eu viajo, tenho o maior cuidado em escolher um hotel porque eu acho que acertando isso, metade da viagem já é um sucesso.  O primeiro quesito para mim é a localização, sempre.  De que me adianta ficar num palácio e ter que andar quilômetros para chegar à civilização?  Exagero de linguagem, é claro, mas o raciocínio é esse.

img_6292

Foto: Férias pelo Mundo

O segundo quesito para mim é ver se o hotel tem a ver comigo.  Uma vez eu entrei num hotel-boutique lindíssimo mas o banheiro era escuro e tinha apenas uma luz lilás.  Troquei.  Achem o que quiserem os amantes da cromoterapia, eu gosto de banheiro claro onde eu possa ver a limpeza.  Enfim…voltando ao post de hoje…

img_5697

Foto: Férias pelo Mundo

Então decidi que a viagem seria para Los Angeles e comecei a pesquisar onde ficaria.  Minha irmã deu o palpite certeiro:  Santa Monica.  Vou fazer um post somente sobre SM por isso não vou me estender aqui, mas é uma região deliciosa de ficar.  Decidido o lugar, abri o leque de opções e não vou perder tempo com os que eu descartei, vou direto ao  motivo do post de hoje….The Ambrose

fan

Foto: The Ambrose

img_5696

Foto: Férias pelo Mundo

Esse é o tipo de hotel que eu adoro:  não pertence a nenhuma Rede e portanto, é cheio de personalidade.   Logo que confirmei a reserva, recebi um email bem simpático dando as boas-vindas e explicando o hotel.  Gostei de cara.  O hotel somente utiliza produtos orgânicos e endossa a idéia de sustentabilidade.

 

Os quartos são todos renovados e ainda cheirando a novo.  A decoração com inspiração asiática é elegantemente simples e bem cuidada.  Tudo muito aconchegante.

img_5698

Foto: Férias pelo Mundo

Uma das melhores coisas do Ambrose é o café da manhã.  Torradas, muffins, pasteries, iogurtes, tudo arrumado numa mesa que poderia estar na minha casa.  O sistema é interessante:  o hospede se serve e escolhe sentar em mesinhas pequenas ou em um dos dois nos sofás, que também poderiam estar na minha casa.  Ou então pode sentar na parte de fora e tomar café aproveitando o sol californiano.  Ou seja, tudo é bem descontraído por muito bem cuidado.  Lembrando que estamos falando de comida orgânica.

 

Para quem não pode viver sem uma academia por perto, o hotel oferece uma.  E oferece um serviço de levar e buscar na Promenade, o que é um conforto.

hallway

Foto The Ambrose

Quem for a Los Angeles e escolher ficar no The Ambrose, por favor pense em mim lá.  O pensamento atrai e eu quero muito voltar.

O The Ambrose: 1255 20th Street, Santa Monica, CA 90404  |  310.315.1555 – Tel  |  855.426.2767 – Toll Free  info@ambrosehotel.com

The Plaza em NY

Hoje o post é sobre esse ícone americano:  The Plaza.  Esse hotel é tão maravilhoso por fora com por dentro.


O edifício custou cerca de 12.5 Milhões e foi concebido para ser um arranha-céu com estilo de castelo francês.  Em 1 de outubro de 1907, o The Plaza abriu as portas num dos endereços mais nobre de Manhattan: a esquina da 5Avenida com o Central Park, é um dos lugares mais visitados de Nova York.

O primeiro hóspede do Plaza foi Alfred G. Vanderbilt.  Depois dele, um número enorme de famosos passaram por lá, entre eles F Scott e Zelda Fitzgerald, os Beatles em sua histórica turnê pela América,  Truman Capote, Frank Sinatra e Mia Farrow, Donald Trump, que se tornaria dono.  Já não é mais.  Enfim, quantas coisas já aconteceram naqueles 19 andares?

 



Engana-se quem pensa que os melhores quartos estão nos andares de cima.  No Plaza, o melhor andar para se hospedar é o quinto. Ou os que estão abaixo.  Por que?  Porque em 1907 os elevadores não tinham a melhor tecnologia.  Então era melhor garantir….


Os primeiros taxis começaram a circular no dia da inauguração do Plaza.  Vários carros-táxi fizeram fila em frente para transportar hóspedes e convidados.  Até então, só haviam carruagens levadas por cavalos.  Claro que os donos de carruagem não gostaram da chegada dos carros, mas o que se pode fazer quando o futuro chega?  De qualquer maneira, ainda hoje pode-se pegar uma carruagem no The Plaza e dar uma volta pelo Central Park.


O The Plaza já serviu como set de filmagem de vários filmes, entre eles: Great Gatsby, The Way We Were, North by Northwest de Hitchcock e Esqueceram de Mim 2.

Durante as filmagens desse último, havia uma cena em que o menino escorregava para dentro do elevador.  Os produtores pediram para Donald Trump, proprietário na época, para retirar o carpete que cobria o lobby.  Ele concordou e quando o carpete saiu, apareceu os azulejos Ravenna italianos, que eram o piso original.  Trump ficou tão encantado que mandou que os carpetes não fossem mais recolocados.

The Great Gatsby

Oak Room

Mesmo quem não estiver hospedado lá, deve dar uma entrada e experimentar um dos restaurantes como o The Palm Cort, The Todd English Food Hall, ou tomar um drink no The Champagne Bar ou no The Oak Room.  Mas se quiser uma coisa rápida, dessa as escadas até a The Plaza Food Hall.

Food Hall

The Palm Court

Em 2005 o Plaza fechou para uma restauração completa que custou 450 Milhões de dólares.  Em 2008, reabriu suas portas.

 

Independence Day

Hoje, 4 de julho, os Estados Unidos comemoram seu dia da Independência, e eu adoro observar esta festa.  Se possível participar, mas nem sempre tudo acontece como a gente quer.A comemoração dessa data e o ThanksGiving, são as festas que traduzem o que é ser americano:  religiosos e super orgulhoss do seu país.  Isso a gente já percebe pela quantidade de casas com a bandeira hasteada na frente.  Além disso, americano é um povo que vivencia a comunidade onde vive.  E o 4 de julho é o grande dia em que fazem-se desfiles, pic-nics comemorativos, shows ao ar livre em parque públicos, e tudo termina com fogos de artifício, seja com os vizinhos ou com a cidade inteira.


Não importa se a cidade é pequena, média ou grande…ou até mesmo um remoto vilarejo em Montana: no 4 de julho, tem tudo isso que eu falei aí em cima.  E mais:  comida americana em profusão!!!! Amamos!


Outra coisa que não pode faltar numa festa da Independência é a quantidade enorme de acessórios a venda com o tema da bandeira. Achem o gosto duvidoso ou não, os americanos não estão nem aí. Eles usam, abusam e se divertem.


Algumas das paradas mais famosas do Dia da Independência:

  1. Philadelphia, PA – foi lá onde tudo começou em 1776.  Ou melhor, a Independência foi proclamada em 1776 mas as Festividades como a conhecemos hoje só começou em 1870 quando o Congresso americano decretou feriado oficial.

2.Washigton, D.C. – e o que pode ser mais patriótico para um americano do que celebrar sua Data Nacional na Capital?  Milhares de pessoas de todos os estados vão para lá, onde é feita uma leitura da Declaração de Independência, antes de começar o desfile.  E sem dúvida, ver a parada passar com o Capitólio ao fundo, emociona até quem não é americano.

3.Bristol, Rhode Island – essa foi uma das primeiras paradas de 4 de julho dos Estados Unidos e sem dúvida, é uma das mais tradicionais.  A corrida de sabão tradicional já não existe mais, mas todo ano um navio da Marinha Americana atraca na cidade durante a parada, fazendo a alegria de milhares de pessoas que comparecem.

4.New York, New York – a queima de fogos da Macy’s é provavelmente o show mais cosmopolita de 4 de Julho.  É o lugar onde pessoas de todo mundo se encontram e celebram juntas.  Mesmo quem não é americano se sente parte integrante da festa.  Os fogos podem ser vistos por toda Manhattan e Brooklin mas no site da loja você encontra os melhores locais.

Anywayyyyyyyy….eu espero que quem ler este post tenha a oportunidade de um dia passar o 4 de julho nos Estados Unidos e aproveitar muito.  Afinal, é uma festa que fala sobre liberdade, e nesse aspecto, todos devem comemorar.

 

 

 

Página 1 de 7

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén